Wonderland Magazine: Confira parte da entrevista de Camila Cabello para a Rollercoaster

08 ago 2017

Foi publicada na tarde de hoje (08) pela Wonderland Magazine, parte da entrevista de Camila Cabello para a Rollercoaster – revista que terá a latinha como capa de uma das edições.

Durante toda a entrevista divulgada, Camila responde perguntas sobre o processo criativo durante a gravação do seu primeiro álbum, ‘The Hurting. The Healing. The Loving.’ – que tem sua estreia marcada para o final de setembro, sobre as parcerias que fez nesses últimos meses em carreira solo, sobre o seu lado perfeccionista e muito mais. Confira logo abaixo a tradução da entrevista divulgada pela Wonderland Magazine:

Wonderland – Camila Cabello

À frente da sua estreia na capa da Rollacoaster, soubemos mais sobre suas novas faixas, a colaboração com a Charli XCX e mais.

“Então ‘Havana’ é uma ideia que eu tive para título de uma canção; muitas das minhas músicas são mais obscuras e emocionantes. Essa é mais verão, pra cima, é muito mexa sua cintura, se isso faz sentido?”

É o meio de julho e Camila Cabello – a cantora e compositora cubana-mexicana que saiu do grupo Fifth Harmony em dezembro – está no telefone em LA. Sua capa para a Rollacoaster está pronta, na tela com sua quase xará Camilla Thurlow aparece em uma série chamada Love Island, e a pista de dança toca “Crying in the Club” que está no top das playlists por alguns meses. Além do pensamento de estúdio, as músicas “Havana” e “OMG” que chegaram semana passada, ainda estão para atingir os nossos ouvidos. “É muito legal, eu fiz com o Pharrell, e é meio que uma história de eu me apaixonando por esse garoto de Havana.”

Um mês depois, está claro que Camila está #ganhando. Produzida por Frank Dukes e com uma aparição do Young Thug – e uma menção de Williams nos créditos de co-escritor – “Havana” é, como sugerido, uma faixa muito legal. 4,164,065 visualizações no YouTube (e contando) não poderiam estar enganadas, certo? E isso sem o visual.

“É totalmente diferente,” Cabello fala quando questionada sobre os turnos do processo de gravação, em grupo versus solo: “No grupo gravávamos músicas por duas semanas, era um processo rápido, tipo, às vezes fazíamos cinco músicas em um dia, e isso seria só ‘tudo bem, você canta o refrão, você canta isso’, e então você grava e é isso, mas isso vem sendo… Provavelmente porque eu tive a chance de realmente escrever e fazer as músicas e me envolver mais em cada aspecto disso desde a produção à mixagem. Definitivamente muito mais desafiador, mas mais divertido, com certeza.”

Pelos próximos meses, o álbum solo da Camila, The Hurting, The Healing, The Lovind é a próxima conclusão dessa nova maneira de trabalhar, e as colaborações não acabam com Thug e Quavo (que aparece em “OMG”): A cantora de “Boys”, Charli XCX também aparece. “Ela sempre foi tão legal comigo,” Cabello confirma, “antes de conhecê-la acho que ela twittou sobre minha música ‘Bad Things’ e então ela expressou que ela queria excrever comigo. Obviamente eu sou uma grande fã dela, ela é uma ótima escritora.”

Uma perfeccionista auto-proclamada que se estressa com “cada pequeno detalhe”, esperamos grandes coisas vindo no prazo.

A entrevista na íntegra estará disponível em breve na edição AW17 da Rollacoaster.

Comments

comments

COMENTÁRIOS