Camila Cabello estampa a capa da revista “Latina” do mês de Abril.

13 mar 2017

Nesta segunda-feira (13) as redes sociais da revista Latina anunciou Camila Cabello como capa da edição de Março/Abril da revista.

A nova edição da revista vem com um photoshoot e entrevista exclusiva, onde Camila fala sobre sua amizade com Taylor Swift, o porquê de sair do Fifth Harmony, sua relação com sua mãe e muitos mais!

Confira algumas das fotos do photoshoot disponíveis em nossa galeria e a entrevista traduzida: 

FOTOS:

 003~5.jpg

O PODER DE UMA

Conheça sua estrela revelação de 2017, srta. Camila Cabello

E ENTÃO ERAM QUATRO

Depois de passar cinco anos como membro do grupo de pop manufaturado porém bem sucedido, Fifth Harmony, Camila Cabello é oficialmente uma artista solo. Com a separação e uma postura franca com relação aos sentimentos anti-imigração vindos da nossa nova Casa Branca (ela redigiu uma redação pensativa com base em sua experiência pessoal em emigrar para os EUA), a cubana e mexicana de 20 anos é claramente sua própria mulher. Se sua mudança será um próximo grupo-a-estrela (como Fergie) ou miss (desculpe Nicole Scherzinger) ainda é uma dúvida. Esse é um ano decisivo, mas um para o qual ela está mais do que pronta.

O seu ensaio para a Latina foi feito em Union City em Nova Jersey, uma cidade arenosa e robusta com um sabor e cultura de imigrantes latinos. Combina com Cabello. Durante a entrevista, ela se senta com as pernas cruzadas, respondendo cada pergunta com sua voz fumegante distinta. Ela não foge de tópicos desconfortáveis – ela mergulha neles de cabeça. Ela não conhece outra maneira.

POR QUE DECIDIU SAIR DO FIFTH HARMONY?

Comecei no grupo com apenas 15 anos. Eu precisava seguir meu coração e minha visão artística. Sou grata por tudo que tivemos no Fifth Harmony e por [essa nova] oportunidade. Estou menos focada no sucesso e mais em fazer meu melhor e seguir minha visão artística ao máximo, onde quer que isso me leve. Claro que também espero que as pessoas gostem da minha música!

CONTE-NOS SOBRE SUA EVOLUÇÃO COMO CANTORA-COMPOSITORA SOLO.

Estive compondo e criando músicas o tempo todo que estive no Fifth Harmony. Tem sido um escape criativo muito importante para mim. Sinto que achei minha voz no processo. A música me ajudou a ser autoconsciente e saber quem sou como pessoa.

VOCÊ FALOU PUBLICAMENTE SOBRE SUA LUTA CONTRA ANSIEDADE. QUANDO PERCEBEU QUE ERA UM PROBLEMA PARA VOCÊ?

No final de 2015 e começo de 2016. Tive um TOC [transtorno obsessivo-compulsivo] terrível, e saiu totalmente do controle. Eu acordava com o coração super acelerado e pensamentos muito negativos, intrusivos e compulsivos. Eu estava tão dentro da minha cabeça e não sabia o que estava acontecendo. Agora eu entendo totalmente, tendo passado por isso, por que não deveria haver tanto estigma em doenças mentais, porque é uma coisa bem comum para as pessoas. Mas você pode conseguir ajuda. Se está dedicado em melhorar, você pode – porque estou em uma posição muito melhor agora. Comecei a ler livros sobre isso e isso me ajudou muito quando entendi [a doença], e que [os pensamentos que eu estava tendo] não eram reais. Às vezes você precisa se lembrar de desacelerar e cuidar de si mesmo.

QUEM TE AJUDOU NESSE PROCESSO?

Minha mãe é minha melhor amiga, eu posso contar tudo a ela. Porque ela passou por tanto em sua vida, ela sabe o que é importante o que não é. Sinto que na indústria há coisas lindas e incríveis. Mas a única coisa que amo nisso é fazer música. O resto todo pode ser bem vazio e esgotador, sem alma. Minha mãe sempre foi boa em me levar ao que é real. Voltar para Miami e ficar na cama com a minha família, todos juntos e assistindo La Família Peluche… Ir ao estúdio e despejar meu coração…

FALANDO DE MÚSICA, VOCÊ É AMIGA DA TAYLOR SWIFT. ELA TAMBÉM É UMA MENTORA?

Nossa amizade nunca foi sobre carreira ou nada profissional. Eu falo com ela sobre garotos e choro com ela sobre garotos. Ela me dá conselhos tipo, “Não, não responda a mensagem.” Mas estou tão animada para o dia em que vou poder mostrar minha música para ela porque sinceramente ela é uma das razões pelas quais comecei a compor. Sinto que temos algo bem legal em que podemos ser só garotas, falando de crushes bobas. É o melhor.

VOCÊ TEM SIDO RESERVADA SOBRE SUA VIDA AMOROSA. POR QUÊ?

Redes sociais são estranhas porque as pessoas às vezes se prendem muito nelas. Mas entendo isso, porque já fui fangirl. Amor é a coisa mais importante pra mim no mundo. Sou uma romântica sem cura. Estou lendo Amor nos Tempos de Cólera. É tipo “Eu sou a Florentina!” Quando me apaixono por alguém, faço tudo pela pessoa. É provavelmente porque sou latina. Sou tão apaixonada, e cresci ouvindo boleros e canções de amor. É engraçado quando você traduz a música para o inglês, soa tão brega de tão apaixonada que é a linguagem. Se você dissesse isso em inglês, as pessoas ficariam tipo “que diabos, cara? Você está bem?” Mas em Espanhol é normal. Entendo por que as pessoas estejam interessadas em minha vida amorosa, mas não quero dar-lhes esse pedaço de mim porque é a parte mais importante. Eis a minha vida dos sonhos: quero fazer músicas e ter experiências incríveis com as pessoas. Não quero ficar trancada em um quarto de hotel e só fazer imprensa e tapetes vermelhos. Não é o tipo de vida que quero viver. Quero fazer música, mas também quero fazer uma viagem com meus amigos. Quero fazer mochilão pela Europa. Quero conhecer um garoto espanhol na Espanha e me apaixonar.

QUANDO VOCÊ CONHECEU O PRESIDENTE OBAMA, VOCÊ CHOROU E AGRADECEU A ELE POR TUDO QUE FEZ PELA IMIGRAÇÃO. AGORA TEMOS UM PRESIDENTE COM UMA VISÃO COMPLETAMENTE OPOSTA…

A esse ponto ele é presidente, mas trata-se de fazer nossas vozes serem ouvidas e deixar que ele saiba que não vamos nos render à sua linguagem de ódio contra nosso povo, muçulmanos, pessoas de cor, gays, pessoas com deficiência – todos que ele silenciou para chegar onde chegou. Vamos nos defender. Ele precisa ser um bom presidente, não somente para os que votaram nele mas por todos nós, até as pessoas que ele machucou e insultou [Camila tem verbalizado em suas redes sociais e participado de protestos anti-Trump], mas isso chegou tão perto de casa para mim que não se tratava mais de políticas, era uma questão humana. É muito importante para mim poder dizer [para os fãs], “Ei, sou uma imigrante! Sou cubana e mexicana! Trabalhei duro e agora estou vivendo meus sonhos e vocês também podem.”

 

Clique aqui para ver o restante das fotos que já estão disponíveis em nossa galeria.

Comments

comments

COMENTÁRIOS